ANO NOVO JUDAICO • JEWISH NEW YEAR



Sukhí Hôtu!

English Version Below


No anoitecer deste dia 18 de setembro 2020, todos os judeus do mundo comemoram a entrada do ano de 5781, o chamado Rosh haShaná ou Ano Novo Judaico.


As pessoas podem perguntar: O que isso tem a ver com Buddhismo (Budismo) e, porque um monge buddhista (budista) está escrevendo uma matéria sobre Ano Novo Judaico? Bem, primeiramente, por causa de minha origem e pelo judaísmo ser parte integrante do que eu sou, apesar de não acreditar no aspecto religioso, divino da religião judaica, a tradição é algo que não precisei deixar para trás ao me tornar monge.


A segunda razão para eu escrever na data judaica é bem simples. Creio firmemente que devemos nos associar a todos os momentos de qualquer calendário onde um determinado segmento da Humanidade está voltado para pensamentos bons, para energia positiva, para desejar o bem e a compaixão por todos os seres. Assim, não faz diferença se é Natal, Ramadã, Ano Novo Asiático ou Judaico, todas essas datas mobilizam uma enorme quantidade de seres humanos, com o único objetivo de que coisas melhores se realizem, em suas vidas pessoais e no coletivo, que abrange todos os seres. Isso, inegavelmente, é Buddhismo!


Sempre que alguém pensa em coisas boas, mesmo que nem chegue a realizá-las, o simples pensamento positivo já é bom karma, porque karma é ação e pensar é uma forma de agir. Portanto, essa pessoa criou uma fagulha de energia positiva. Se mais e mais pessoas, por todos os cantos do mundo, pensarem a mesma coisa boa e as colocarem em prática, esse bom karma se torna múltiplas vezes maior. De fagulha em fagulha, temos uma enorme chama de energia positiva, de compaixão, de bons sentimentos.


Uma vez criada, a energia positiva diminui o impacto causado pela energia contrária, a negativa. Se estamos numa época de muita energia negativa, a produção coletiva de energia positiva contrabalança o mal em nosso planeta e, mesmo que não seja capaz de anular esse mal, pelo menos já é algo muito bom que possamos manter um equilíbrio de forças entre o bem e o mal.


A cada iniciativa de produzirmos bom karma, estamos, de maneira prática e simples, colaborando com o equilíbrio de nosso planeta. Assim, que venham festivais, anos novos com suas celebrações, comemorações de datas do bem e todo tipo de manifestações, ao longo do ano, para que possamos nos unir a essas pessoas, não importa de que crença ou tradição cultural sejam. Ficar feliz pela felicidade alheia é uma profunda prática buddhista, que só tem resultados positivos! Vamos todos nos beneficiar da alegria dos que hoje celebram o Ano Novo Judaico. Que seja um período bom e harmonioso, não somente para judeus, mas para todos os que, através do bom karma, querem o bem da Humanidade!


Fiquem todos em Paz e protegidos!






At dusk on the 18th of September 2020, all Jews in the world celebrate the entry of the year 5781, the so-called Rosh haShanah or Jewish New Year.


Then, one may ask: What does this have to do with Buddhism and, why is a Buddhist monk writing an article about the Jewish New Year? Well, first of all, because of my background and because Judaism is an integral part of what I am, despite not believing in the religious, divine aspect of the Jewish religion, tradition is something I did not have to leave behind when I became a monk.


The second reason I write on the Jewish date is quite simple. I firmly believe that we must associate ourselves with all moments of any calendar where a particular segment of Humanity is turned to good thoughts, positive energy, to wish good and compassion for all beings. So, it makes no difference whether it is Christmas, Ramadan, Asian or Jewish New Year, all of these dates mobilize an enormous amount of human beings, with the sole objective that better things can be accomplished, in their personal lives and in the collective, which covers all beings. This, undeniably, is Buddhism!


Whenever someone thinks of good things, even if s/he does not get to do them, simple positive thinking is already good karma, because karma is action and thinking is a way of acting. So, by thinking one created a spark of positive energy. If more and more people, all over the world, think the same good thing and put it into practice, that good karma becomes multiple times greater. From spark to spark, we have a huge flame of positive energy, of compassion, of good feelings.


Once created, positive energy lessens the impact of the negative energy. If we are in a time of a lot of negative energy, the collective production of positive energy counterbalances the evil on our planet and, even if it is not able to cancel this evil, at least it is already a very good thing that we can maintain a balance of forces between the good and evil.


With each initiative to produce good karma, we are, in a practical and simple way, collaborating with the balance of our planet. So, let festivals come, new years with their celebrations, celebrations of good dates and all kinds of events, throughout the year, so that we can unite with these people, no matter what belief or cultural tradition they belong to. Being happy for the happiness of others is a profound Buddhist practice, which only has positive results! We will all benefit from the joy of those who celebrate the Jewish New Year today. May it be a good and harmonious period, not only for Jews, but for all who, through good karma, want the good of humanity!


May everyone be at Peace and protected!


Ajahn Sunanthô Therô

40 visualizações

Contatos:

(54) 3244-6027

dragaododharma@gmail.com

Endereço: 

Loteamento Alpes de São Francisco, Rua 3 - 401

São Franciso de Paula, RS - CEP: 95400-000

© 2020 

Criado por Gustavo Pavanello e Thairiny Silva

  • Templo Dragão do Dharma - Facebook
  • Budismo Brasil - YouTube
  • Budismo Brasil - Instagram
  • Twitter