DEUS EXISTE? • DOES GOD EXIST?


Sukhí Hôtu!

English Version Below


Uma pessoa interessada em conhecer o Buddhismo (Budismo) comentou comigo que acha estranha a não existência de Deus, de um ser criador… Na verdade, o Buddhismo não afirma nem nega a existência de um criador, apenas não pensa no assunto, não vê necessidade alguma de existir ou não o tal criador de tudo.


Na Tradição Theravada de Buddhismo, lidamos com causas e efeitos, ou seja, para que algo exista, é preciso que algo anterior tenha existido, permitindo a existência de outra coisa que, por sua vez, vai gerar outra e outra… Se fôssemos considerar a existência de um ser criador, esse ser teria que vir de outro ser que o criou e esse ser teria que ser criado por outro. Apenas crer que algo “sempre existiu”, não faz sentido do ponto de vista do Buddhismo. Para haver um ser criador, teria que haver outro que o criou e foi criado por outro…


O Buddha (Buda) viveu numa sociedade onde, até hoje, há milhões de deuses. A cultura hindu permite que o seu CACHORRO ou PEIXE DE AQUÁRIO sejam considerados como uma DEIDADE, através da qual você pode adorar o seu DEUS PARTICULAR. Se você reverenciar esse seu animal de estimação, fizer oferendas a ele etc estará entrando em contato com seu deus! Agora, imaginem como foi confuso para o povo, na época do Buddha, entender quem ele era? As pessoas estavam confusas, afinal, alguém com tanta Sabedoria e milhares de seguidores, tinha que ser um deus, profeta ou mensageiro de algum ser divino!


Várias vezes o Buddha foi perguntado sobre isso. A curiosidade das pessoas era grande e ele sempre explicou que não era deus algum, nem mensageiro de qualquer deus. Ressaltou que era um SER HUMANO que se esforçou muito, praticou a purificação mental e, depois de muita luta contra seus obstáculos mentais, atingiu a Perfeita Iluminação, venceu tudo aquilo que bloqueava sua mente e o impedia de se tornar um Iluminado. Ele também sempre deixou claro que qualquer um de nós, desde que siga exatamente o caminho que ele percorreu, chegará ao mesmo resultado.


Vendo tanta clareza e objetividade em tudo o que o Buddha dizia, as pessoas queriam saber, então, se existe ou não um deus criador a quem elas devessem adorar. Foi aí que o Buddha usou a parábola da FLECHA ENVENENADA.


Ele disse assim: Vamos supor que um homem tenha sido flechado por uma flecha com um veneno muito forte e mortal. As pessoas vêm acudir o homem e, no momento em que vão retirar a flecha, o homem as manda parar, dizendo: Antes de retirarem a flecha, quero saber de que direção ela veio… Também quero saber de que material era feito o arco de onde partiu a flecha… Que tipo de corda tinha o arco: era de fibra trançada? De tripa de algum animal?


Enquanto fazia essas perguntas inúteis, o veneno estava se espalhando pela corrente sanguínea e o tempo precioso de salvar a vida do homem estava se esgotando! Assim, da mesma maneira, disse o Buddha, fazer perguntas sobre a existência ou não de um ser criador, é uma enorme perda de tempo, já que não chegaremos a conclusão alguma! Segundo o Buddha, todos os seres vivos se encontram mergulhados em uma enorme encrenca! Todos sofremos e estamos em busca da felicidade verdadeira. Não temos tempo a perder e, como somos capazes de POR NÓS MESMOS nos libertarmos de todo tipo de inquietação mental que nos aflige, em vez de questionarmos a existência de um ser divino, o que devemos fazer é começar por nós mesmos nosso trabalho de purificação mental, para atingirmos a Sabedoria e nos tornarmos, também nós, BUDDHAS, para nunca mais retornarmos a nenhuma forma de existência, alcançando o Estado Mental do Nirvana.


Como vimos, o Buddhismo não afirma nem nega a existência de Deus, apenas é irrelevante e uma grande perda de tempo precioso, quando já temos em nós mesmos o potencial para sermos eternamente felizes sem depender da ajuda de qualquer ser “superior”.


Fiquem todos em Paz e protegidos!






A person interested in knowing Buddhism commented to me that it is strange that there is no God, no creator being in Buddhism... In fact, Buddhism does not affirm or deny the existence of a creator, it just does not think about the subject, considering no need for the existence or not of creator of everything.

In Theravada Tradition of Buddhism, we deal with causes and effects, that is, for something to exist, it is necessary that something previous existed, allowing the existence of something else, which, in turn, will generate another and another… If we were to consider the existence of a creative being, that being would have to come from another being who created it and that being would have to be created by another. Just believing that something "has always existed" does not make sense from the point of view of Buddhism. For there to be a creative being, there would have to be another one who created it and was created by a previous another...


The Buddha lived in a society where, until nowadays, there are millions of gods. Hindu culture allows your DOG or AQUARIUM FISH to be considered a DEITY, through which you can worship your PERSONAL GOD. If you revere your pet, make offerings to him etc. you will be contacting your god! Now, imagine how confusing it was for people, at the time of the Buddha, to understand who he was? People were confused, after all, someone with so much Wisdom and thousands of followers, had to be a god, a prophet or the messenger of some divine being!


The Buddha was asked several times about this. The curiosity of the people was great and he always explained that he was not a god, nor a messenger of any god. He stressed that he was a HUMAN BEING who worked hard, practiced mental purification and, after a lot of struggle against his mental obstacles, attained Perfect Enlightenment, overcame everything that blocked his mind and had prevented him from becoming the Enlightened One. He also always made it clear that anyone of us, as long as we follow exactly the path he took, will achieve the same result.


Seeing so much clarity and objectivity in everything the Buddha said, people wanted to know, then, whether or not there is an all creator god whom they should worship. It was there that the Buddha used the parable of the POISONED ARROW.


He said thus: Suppose a man was shot by an arrow with a very strong and deadly poison. People come to help the man and, at the moment they are going to remove the arrow, the man stops them, saying: Before taking away the arrow, I want to know which direction it came from ... I also want to know what material the bow was made from. where was the arrow broken from ... What kind of rope had the bow: was it made of braided fiber? Some animal's gut?


While asking these useless questions, the poison was spreading through the bloodstream and the precious time to save the man's life was running out! So, in the same way, said the Buddha, asking questions about the existence or not of a creative being, is a huge waste of time, since we will not reach any conclusions! According to the Buddha, all living beings are in deep trouble! We all suffer and are in search of true happiness. We have no time to lose and, as we are able to BY OURSELVES free ourselves from all kinds of mental restlessness that afflicts us, instead of questioning the existence of a divine being, what we must do is to start our work of mental purification in order to attain Wisdom and also we to become BUDDHAS, to never return to any form of existence, reaching the Mental State of Nirvana.


As we have seen, Buddhism does not affirm or deny the existence of God, it is only irrelevant and a great waist of precious time, when we already have the potential in ourselves to be eternally happy without depending on the help of any "superior" being.


May everyone be at peace and protected!


Ajahn Sunanthô Therô


22 visualizações

Contatos:

(54) 3244-6027

dragaododharma@gmail.com

Endereço: 

Loteamento Alpes de São Francisco, Rua 3 - 401

São Franciso de Paula, RS - CEP: 95400-000

© 2020 

Criado por Gustavo Pavanello e Thairiny Silva

  • Templo Dragão do Dharma - Facebook
  • Budismo Brasil - YouTube
  • Twitter