• Fǎ Lóng Sì - Facebook
  • Fǎ Lóng Sì - YouTube
  • Fǎ Lóng Sì - Instagram

(54) 3244-6027

wuhaishifu@gmail.com

Templo Budista

Loteamento Alpes de São Francisco, Rua 3 - 401

São Franciso de Paula, RS - CEP: 95400-000

Agende sua visita nos telefones indicados.

 

Se estiver de passagem pelo local e REALMENTE tiver tempo para sentar e ouvir Ensinamentos sobre Budismo diretamente do Shifu (monge), todos são muito bem-vindos para tocar o sino do portão.

 

Reuniões aos Sábados ou Domingos, a partir das 15h.

Cadastre-se para participar por vídeo, caso não possa comparecer .

FALANDO SOBRE DHARMA



Dajia hao!


Chamamos de Buddhadharma o que conhecemos como Buddhismo (Budismo). Na verdade, o Dharma não é DO Buddha! Ele descobriu o que esteve em toda parte durante zilhões de anos e esta é justamente a importância do Buddha para a História da Humanidade.


Mas então, afinal, o que é esse tal de Dharma? A palavra, em Sânscrito, tem vários significados: lei, doutrina, conjunto de fenômenos e, até religião, ainda que não seja o caso do Buddhismo (Budismo). Para nós buddhistas (budistas), o Dharma é uma Lei, que rege todos os fenômenos do Universo e, claro, de nosso planeta. Os oceanos, influenciados pela Lua, causando o efeito das marés, por exemplo, é Dharma, porque é uma lei que segue existindo através de milhões de anos. Se, na casa de alguém, um gato pega um rato, brinca com ele, o tortura e come, por mais estranho que seja, ISSO TAMBÉM é Dharma, porque é da natureza dos gatos fazer isso e o fazem em todas as partes do mundo! Gatos torturam ratos e nunca se ouviu dizer que um gato foi torturado por um bando de ratos que depois o devorou!


O Buddha descobriu o Dharma e por isso chamamos o Buddhismo de BUDDHADHARMA, que é a forma como ele destrinchou, analisou e codificou essa Lei do Universo, a deixando totalmente clara para quem quiser estuda-la. Ao analisar os fenômenos do Dharma Universal, o Buddha descobriu que tudo, absolutamente tudo, em determinado momento, devido a causas e condições que se associam, passa a existir. Enquanto tais causas e condições continuam combinadas, as coisas continuam também a existir. Mas, a partir do momento que causas, ou condições, ou ambas, não mais conseguem permanecer em associação, as coisas DEIXAM de existir, para gerarem outras coisas, sejam elas boas ou ruins, no nosso conceito!


SEMPRE no nosso conceito, apenas! E essa IMPERMANÊNCIA que mantém tudo funcionando e não há nada, absolutamente NADA de errado nisso! Se as coisas não fossem assim, não haveria Universo, nosso próprio las, o Planeta Terra, não seria possível de existir! A complicação da nossa existência começou quando conceituamos as coisas e queremos MUITO que elas não sigam o Dharma, ou seja, não estejam de acordo com a natureza delas e sim do jeito que NÓS QUEREMOS que elas sejam! As pessoas querem que um cão, que dura em torno de 15 anos, tenha a longevidade de uma TARTARUGA e, quando o cão atinge sua idade máxima e morre, elas choram, arrancam os cabelos e se lamentam... Daí, dizem que ele virou estrelinha, foi morar no céu dos cachorrinhos e todo tipo de tolice, para amenizar o sofrimento IMENSO que já era previsível, mas a pessoa não quis aceitar! Isso é ir contra o Dharma... Cães não vivem cem anos, muito menos para sempre!! Casais esperam que seus parceiros sejam DO JEITO que imaginam e não do jeito que realmente são, com suas qualidades e defeitos! Ao menor sinal de contrariedade, se separam e arranjam outro parceiro, colecionando relacionamentos desfeitos! Acham mais fácil do que tentar se moldarem aos defeitos e qualidades um do outro... Infelizmente!


Observar o DHARMA das coisas, e praticar corretamente o Buddhismo (Budismo). Viver na ilusão de que as coisas vão mudar, de que devem ser de outro jeito e não sigam a natureza delas, é estar longe do que o Buddha nos ensinou! Se o Dharma parece hoje tão claro para nós buddhistas (budistas), é porque o Buddha (Buda) o descobriu... Estava bem debaixo dos narizes da Humanidade, mas só ele conseguiu ver! É por isso que somos tão gratos ao Buddha (Buda) e, diante da imagem dele, fazemos prostrações e homenagens. Ao fazer isso, não estamos praticando idolatria, mas sim olhando sua figura inspiradora, de ser HUMANO como nós, para que a imagem seja um espelho do que nós devemos nos tornar, ao vermos com LUCIDEZ o Dharma, o Buddhadharma (Budadarma)!


Fiquem todos em Paz e protegidos!


悟海師父

24 visualizações