KARMA E "REENCARNAÇÃO" • KARMA AND "REINCARNATION"

Atualizado: Set 22



Sukhí Hôtu!

English Version Below


Diversas crenças compartilham com o Buddhismo (Budismo) a convicção de que vivemos mais de uma vida, ou seja, a presente vida não é a nossa primeira, nem será a única. Após o que chamamos de “morte”, vamos ter outras existências.


No Buddhismo, a crença sobre vida e morte, pelo que foi explicado pelo próprio Buddha (Buda), difere bastante em relação ao Hinduísmo e ao chamado Kardecismo, o ensinamento de Alan Kardec, bastante popular no Brasil. Isso, porque as duas correntes estão ligadas a um retorno, seja ele quando for, a um ser superior, a quem chamam de Deus. Viver, morrer, “reencarnar” até que uma ALMA esteja pura e “desenvolvida espiritualmente” o bastante para retornar para esse ser que a criou. Nada disso, porém, tem a ver com o que o Buddha nos explicou. Primeiramente, não generalizamos esse processo de vidas sucessivas de “reencarnação”. Etimologicamente, ou seja, estudando a origem da palavra “reencarnar”, ela significa exatamente: voltar a ser feito de carne (re= novamente, em=dentro, carnar=de carne, na carne…). Para as crenças que afirmam que sempre teremos uma vida seguinte como seres feitos “de carne e osso”, o termo reencarnação se aplica mas, no Buddhismo NEM SEMPRE nossas vidas são em formas de existência feitas de carne e osso. Há formas de existência que são feitas de substância etérea, sutil, energética, uma composição não-humana! Quando nossa vida é nessa forma, não podemos dizer que estamos “reencarnados”, mas, de qualquer forma, renascemos. Por isso, o termo usado no Buddhismo é RENASCIMENTO em vez de “reencarnação”.


Também a crença de que é uma ALMA, um ESPÍRITO que vem de existências anteriores, está vivendo agora e vai passar para uma vida seguinte, não está de acordo com o Ensinamento do Buddha. Não temos nada que possamos chamar de “alma” ou “espírito” nada que seja um “eu”… É a energia à qual chamamos de mente que está nesse fluxo contínuo existencial.


A cada ciclo de vida, já trazemos conosco uma bagagem kármica, um somatório de nossas boas e más ações. Todo karma que ainda não se manifestou, que ainda não surtiu efeito, vem conosco para o renascimento atual. Aqui, ele pode ou não se manifestar. Alguns karmas demoram centenas de existências, mas, um dia, terão seu efeito manifestado.


Enquanto que alguns karmas – tanto bons quanto maus – vão ter seus efeitos manifestados nesta existência, nos causando coisas boas ou más, estaremos cometendo mais ações INTENCIONAIS – ação intencional é o significado de karma! - que, da mesma forma, poderão ter seus resultados imediatamente manifestados nesta existência, ou serão levados em nossa bagagem, para existências futuras.


Bons karmas geram bons resultados: paz, tranquilidade, beleza física, amizades fiéis, prosperidade, boa situação financeira, relações afetivas estáveis, sucesso profissional etc. Os maus karmas, nossas más ações intencionais, claro, geram toda forma de inquietação mental. Isso não é prêmio nem castigo, apenas resultados lógicos e exatamente proporcionais e justos. Não há dificuldade em entender isso e aceitar como sendo lógico.


Quando “morremos”, quando encerramos mais um ciclo de existência, é feito todo um somatório de nosso bom e mau karma e o resultado desse cálculo vai determinar exatamente o que seremos em nossa vida seguinte. Até mesmo os mínimos detalhes sobre onde vamos nascer – em que lugar, em que família (rica, pobre, feliz, neurótica…), se seremos fisicamente completos ou deficientes, fortes ou fracos, com que tipo de pele, cabelo, cor dos olhos, capacidade intelectual, tudo, absolutamente TUDO é resultado desse somatório da bagagem vinda de outras existências, abatendo os karmas que já surtiram efeito e acrescentando os bons e maus karmas que praticamos durante esta vida.


Isso nos deixa claro o quanto temos que estar sempre atentos para praticarmos bom karma e evitarmos a prática dos maus karmas, das ações incorretas, negativas, cruéis e mal intencionadas.


Segundo o que o Buddha nos explicou e, diferentemente das demais crenças em sucessivas vidas, nós SIM podemos decair e renascer como animais de qualquer espécie, ou como seres terríveis que vivem em outras dimensões, onde passam por sofrimento inimaginável. Também podemos renascer em locais que se parecem com o que os cristãos ou muçulmanos definiriam como “paraíso” e lá já estivemos várias vezes e acabamos decaindo… São os chamados Reinos da Existência e depois escreverei sobre eles detalhadamente. Por agora, o importante é que fique claro que nada do que o Kardecismo ou o Hinduísmo explica sobre “reencarnação”, está realmente de acordo com o que o Buddha nos ensinou.

Espero que tenha ficado tudo claro na cabeça de cada leitor. Vou ficar bem contente se surgirem perguntas, afinal, Buddhismo É QUESTIONAMENTO e faz parte da vida de monge esclarecer dúvidas de quem nos procura.


Fiquem todos em Paz e protegidos!






Several beliefs share with Buddhism the conviction that we live more than one life, you know, the present life is not our first, nor will it be the only one. After what we call "death", we will have other existences.


In Buddhism, the belief about life and death, as explained by the Buddha himself, differs greatly in relation to Hinduism and the so-called Kardecism, the teaching of Alan Kardec, quite popular in Brazil. This is because the two currents are linked to a return, whenever it might be, to a superior being, whom they call God. To live, to die, to "reincarnate" until a SOUL is pure and "spiritually developed" enough to return to this being who created it. None of this, however, has to do with what the Buddha explained to us. Firstly, we do not generalize this process of successive “reincarnation” lives. Etymologically, I mean, studying the origin of the word "reincarnate", it means exactly: to be made of flesh again (re = again, in = inside, carnar = of flesh, in the flesh ...). For beliefs that claim that we will always have a next life as beings made "of flesh and blood", the term reincarnation applies but, in Buddhism, NOT ALWAYS our lives are in forms of existence made of flesh and bone. There are forms of existence that are made of ethereal, subtle, energetic substance, a non-human composition! When our life is in one of these forms, we cannot say that we are "reincarnated", but, in any case, we are reborn. Therefore, the term used in Buddhism is REBIRTH instead of "reincarnation".


Also, the belief that you are a SOUL, a SPIRIT that comes from previous existences, is living now and will pass on to the next life, is not in accordance with the Buddha's Teaching. We have nothing that can be called a "soul" or "spirit", nothing that is an "I" ... It is the energy that we call the mind that is in this continuous existential flow.


With each life cycle, we already bring with us a karmic baggage, a sum of our good and bad deeds in previous existences. All karma that has not yet manifested itself, that has not yet taken effect, comes with us for the current rebirth. Here, it may or may not manifest itself. Some karma takes hundreds of lifetimes, but one day it will have its effect manifested.


While some karma - both good and bad - will have its effects manifested in this existence, causing us good or bad things, we will be committing more INTENTIONAL actions - intentional action is the meaning of karma! - which, likewise, may have their results immediately manifested in this existence, or will be carried along in our luggage, into future existences.


Good karma generates good results: peace, tranquility, physical beauty, faithful friendships, prosperity, good financial situation, stable emotional relationships, professional success, etc. Bad karma, our intentional bad actions, of course, generate all forms of mental unrest. This is neither a reward nor a punishment, just logical and exactly proportional and fair results. There is no difficulty in understanding this and accepting it as logical.


When we “die”, when we end another cycle of existence, a whole sum of our good and bad karma is made and the result of this calculation will determine exactly what we will be in our next life. Even the smallest details such as about where we are going to be born - in what place, in what family (rich, poor, happy, neurotic…), whether we will be physically complete or disabled, strong or weak, with what type of skin, hair, eye colour , intellectual capacity, everything, absolutely EVERYTHING is the result of this sum of baggage coming from other existences, cutting down the karmas that have already had an effect and adding the good and bad karmas that we practice during this life.


This makes it clear to us how much we have to be always attentive to practice good karma and avoid the practice of bad karma, incorrect, negative, cruel and malicious actions.


According to what the Buddha explained to us and, unlike other beliefs in successive lives, we YES can decay and be reborn as animals of any kind, or as terrible beings that live in other dimensions, where they undergo unimaginable suffering. We can also be reborn in places that look like what Christians or Muslims would define as “paradise” and we have been there several times and ended up falling down to our human condition one more time… They are the so-called Realms of Existence and I will write about them in detail another occasion. For now, the important thing is to make it clear that nothing that Kardecism or Hinduism explains about "reincarnation", is really in line with what the Buddha taught us.

I hope that everything was made clear in the minds of each of you readers. I will be very happy if questions arise, after all, Buddhism IS QUESTIONING and it is part of the life of a monk to clarify doubts of those who seek us.


May everyone be at Peace and protected!


Ajahn Sunanthô Therô

137 visualizações

Contatos:

(54) 3244-6027

dragaododharma@gmail.com

Endereço: 

Loteamento Alpes de São Francisco, Rua 3 - 401

São Franciso de Paula, RS - CEP: 95400-000

© 2020 

Criado por Gustavo Pavanello e Thairiny Silva

  • Templo Dragão do Dharma - Facebook
  • Budismo Brasil - YouTube
  • Budismo Brasil - Instagram
  • Twitter