O SHĪFÙ



Dajia hao!


Em Mandarim, há várias palavras para definir “monge/monja buddhista”. CHUJIAREN (“tsudjiarén”) significa “aquele que abandonou o lar”, “que saiu da vida doméstica” ou, em última análise: “sem teto”. BITCHOU, é a variação da palavra BHIKSHÚ, que era usada no tempo do próprio Buddha (Buda) para definir os monges que o seguiam… Também há a palavra LAOSHI (“Velho Mestre”), onde “velho” tem o sentido de respeitado, de experiente através da idade avançada. Há, também, o termo “SHIFU” - que se pronuncia SIFÚ e é composto de duas palavras: SHI(mestre) e FU (pai). É sobre ela que quero falar.

Como tantas outras palavras, as pessoas têm a mania de permitir que percam o verdadeiro valor, o peso, o sentido! Hoje em dia, dizem tolices como “Amei seu cabelo!” “Amei essa sua camisa”, como se AMAR, fosse algo banal, fosse algo simples e sem valor! Da mesma forma, tem muita gente dizendo “SHIFU”, como se fosse algo comum e simples: advogado, engenheiro, padeiro, shifu, motorista de táxi, médico etc.

Ser PAI é algo grandioso, uma imensa responsabilidade para ser carregada a vida toda! Um pai, não importa quantos filhos tenha, deve amar a todos com igualdade e garantir que todos aprendam tudo o que for necessário para formarem uma bagagem que os deixem prontos para enfrentar as diversas dificuldades da vida! Um pai de verdade, tem que estar comprometido com a educação de seus filhos e isso não significa pagar, pagar, pagar e deixar que outros se encarreguem do que seus filhos vão receber! Mesmo assim, há pais negligentes, irresponsáveis, indiferentes e até os que têm favoritismo por determinado filho ou filha e desprezam os demais!

Um SHIFU (aqui no sentido de monge buddhista (budista) e não de mestre de Artes Marciais!) tem ainda maior responsabilidade que um pai! Isso porque não só os jovens sob orientação dele, mas também pessoas da mesma idade que ele e até mais velhas – TODOS, sem exceção nem favoritismo, estão sob responsabilidade do monge, para receberem os Ensinamentos do Buddha (Buda) e tudo aquilo que o SHIFU tem obrigação de transmitir, sempre seguindo o ponto de vista do Buddhismo (Budismo), para que as pessoas se tornem fortes, moralmente corretas, éticas, justas, equilibradas, compassivas, amorosas umas com as outras e Sábias para conduzirem suas vidas por si próprias mas, ao mesmo tempo preparadas para transmitir cada vez mais a Mensagem do Buddha (Buda) .

Um Shifu, um monge de verdade, tem que ser o pai de todos, se preocupar com todos, buscar os meios corretos de ensinar a todos, respeitando a individualidade e capacidade de compreensão de CADA UM de seus alunos, sejam eles apenas 5 ou 500 ou cinco mil! É uma tarefa difícil que tem que ser abraçada com muito amor e dedicação. É algo parecido com a vocação para a Medicina, sendo que lidamos com a MENTE de cada um e usamos como medicamento a palavra do Buddha (Buda), seu Ensinamento, ao qual chamamos de DHARMA. O Dharma (Darma) é e sempre terá que ser o instrumento de trabalho do Shifu. Sem se desviar do Caminho, sem se deixar corromper e, ao mesmo tempo, sem se deixar vencer pelo cansaço ou pelo desânimo, quando parece que nada vai funcionar na divulgação do Buddhismo (Budismo).

Peço que todos entendam profundamente o significado de SHIFU, nas Artes Marciais e, sem desmerecê-las, principalmente no sentido de MONGE BUDDHISTA. Talvez, com a compreensão correta da palavra, surjam o respeito e a vontade de conhecer melhor a quem se dedica a manter para as gerações futuras o Buddhadharma, também conhecido como Buddhismo.


Fiquem todos em Paz e protegidos!


Monge Wu Hai Shifu

99 visualizações

Contatos:

(54) 3244-6027

dragaododharma@gmail.com

Endereço: 

Loteamento Alpes de São Francisco, Rua 3 - 401

São Franciso de Paula, RS - CEP: 95400-000

© 2020 

Criado por Gustavo Pavanello e Thairiny Silva

  • Templo Dragão do Dharma - Facebook
  • Budismo Brasil - YouTube
  • Budismo Brasil - Instagram
  • Twitter