• Fǎ Lóng Sì - Facebook
  • Fǎ Lóng Sì - YouTube
  • Fǎ Lóng Sì - Instagram

(54) 3244-6027

wuhaishifu@gmail.com

Templo Budista

Loteamento Alpes de São Francisco, Rua 3 - 401

São Franciso de Paula, RS - CEP: 95400-000

Agende sua visita nos telefones indicados.

 

Se estiver de passagem pelo local e REALMENTE tiver tempo para sentar e ouvir Ensinamentos sobre Budismo diretamente do Shifu (monge), todos são muito bem-vindos para tocar o sino do portão.

 

Reuniões aos Sábados ou Domingos, a partir das 15h.

Cadastre-se para participar por vídeo, caso não possa comparecer .

POR QUÊ MONGES E MONJAS NÃO DEVEM RECEBER ABRAÇOS, BEIJOS E OUTRAS DEMONSTRAÇÕES DE AFETO?



“Valeu, meu amigo, um abração!” “Obrigada, monge, beijo!” - Não são poucas as vezes que leigos – homens ou mulheres – me dizem esse tipo de frase… Também, mais de uma vez, já aconteceu de eu, de repente, sem a menor chance de reagir, já fui abraçado e até beijado no rosto! Por mais comum e inocente que um abraço ou um beijo no rosto possam ser, sem qualquer intenção disfarçada, nós monges (e também as monjas!) não devemos receber esse tipo de manifestação de afeto.


No Ocidente, a maioria das pessoas gosta de um bom abraço ou de um beijo carinhoso e, principalmente no Brasil, abraçar e beijar uns aos outros é uma prática comum, que faz parte da cultura local. Claro que como monge brasileiro, eu sei o que é ser abraçado e abraçar alguém! Mas, quando alguém decide seguir a vida monástica, é necessário abrir mão de uma grande quantidade de hábitos e de prazeres também. Aqui inclui-se dar adeus aos abraços, beijos e outras afetuosidades!


Como todos podem imaginar, controlar emoções, vontades e impulsos nem sempre é uma tarefa simples e nós monges temos que estar sempre atentos para não nos desviarmos de nossos Preceitos. Se, no convívio com os leigos, formos abraçados e beijados cada vez que alguém nos encontra, a tarefa fica ainda mais difícil.

Geralmente as pessoas usam algum tipo de perfume agradável, há o contato com a pele, o contato com o corpo de outra pessoa… Quanto mais longe a palha estiver do fogo, menor o risco de causar um incêndio! É por essa razão que nós que optamos pela vida monástica, fazemos de tudo para evitar abraços, beijos e qualquer tipo de contato físico. Obviamente, quando alguém deseja por escrito “um abraço” “um beijo” etc a resposta que dou é sempre evasiva, dentro do melhor modo de um monge ser gentil sem retribuir o afeto!



NOTA: O monge na imagem desta postagem, na Tailândia, causou enorme estranheza nessas fotos e logo depois abandonou a vida monástica, por ter chocado gente em várias partes do mundo com seu comportamento inadequado!


Wù Hǎi Shīfù

329 visualizações