QUANDO OS PENSAMENTOS SE ACELERAM



Sukhí Hôtu!


Há uma citação, que nem é da Tradição Theravada mas do Zen, que diz assim: "Um homem estava caminhando pela estrada quando viu seu amigo, vindo a galope, em alta velocidade! Ele gritou: "Ei, amigo! Aonde vai com tanta pressa??" e o outro, já distante, gritou: "Também não sei! Pergunte ao cavalo!" Pode parecer uma piadinha boba, mas, na verdade, é exatamente isso que a mente da maioria das pessoas faz com elas - disparar, sem rumo, as levando para o desconhecido. Isso é terrível, até porque as pessoas nem se apercebem que isso está acontecendo. Num turbilhão de pensamentos, confusos e acelerados, simplesmente se deixam levar pela mente.


O Buddhismo (Budismo), é um treinamento completo de como lidarmos com a mente. De como passarmos a entender cada manha, cada melindre, cada armadilha e peça que ela tenta nos preparar. Se a deixarmos correr livre e solta, ela nunca terá limite - podem estar certos disso! Só quando começamos a observar ela, ver com cuidado o que ela está tramando, para onde está tentando ir, só assim passamos a ser capazes de evitar que ela assuma o controle e, aos pouquinhos, cada um com seu ritmo próprio - mas com diligência e comprometimento! - vai aprendendo a conviver com a mente e descobrindo a melhor maneira de realizar o adestramento.


O mundo exige de nós muitas coisas. É o jeito do mundo ser. Cada um de nós, desde pequeno, já é educado para ser o melhor em tudo! Mais e mais pais põem seus filhos no judô, no balé, no curso de inglês (e espanhol!!), na melhor escola que pode bancar... Exigem coisas sem nem dar direito à criança de opinar se gosta ou não do que estão fazendo com ela. A escolha da carreira, as opções entre as melhores faculdades, às vezes até a responsabilidade de se formar em algo que o jovem nem gosta, só para herdar o escritório, o consultório ou a companhia fundada pelos ancestrais, dando continuidade ao negócio da família. Tudo isso é incrivelmente cobrado, de forma totalmente errada. Mas, vamos a alguns fatos?


Você e só você, é dono de sua mente. Ninguém além de você é responsável pelo que deixa entrar nela, mantém dentro dela ou põe para fora dela. Então, se for capaz de realmente vigiar essa movimentação, se souber administrar isso, com Atenção Plena, as coisas começam a melhorar. Um exercício prático, fácil e bem inicial, é se habituar a parar tudo o que estiver fazendo! Seja o que for, tenha a importância que tiver - e, mais ainda se for algo importante! Pare! Pare, respire... Inspire e expire, devagar, por alguns minutos. Feito isso, comece a pensar sobre como está sua mente. Verifique se está começando a se inquietar, começando a ficar agitada... Se for o caso, busque a razão! Não tenha medo de parar e se perguntar coisas que talvez sejam novas para você... É assim mesmo o treinamento!


Se notar que a mente já escapou, já se agitou e está levando você para o olho do furacão de pensamentos, aí mesmo é que você tem que parar tudo e, respirando cada vez mais consciente, sair da situação em que a mente colocou você. Está certo... é um dia difícil, daqueles que você só quer que ele acabe! Vem aquela vontade de chutar tudo para o alto, berrar, virar a mesa... Mas, você sabe que isso só pioraria as coisas. O certo é assumir o controle da sua mente e chamar ela de volta para a realidade!

Seu chefe é realmente chato? Ele realmente implica com você? Ou será que lhe cobra e exige tantas coisas justamente por ter tanta confiança em seu potencial, que é esse o método dele de fazer você crescer? Veja bem... No mundo competitivo em que vivemos, ninguém dá bronca e exige coisas de empregado incompetente. É bem mais prático mandar embora e, com o desemprego novamente em alta, no dia seguinte alguém louco para mostrar serviço, já vai estar ocupando sua antiga mesa! Então, em vez de pensar que o "bucha" do seu chefe odeia você, não entende você e exige coisas acima de sua capacidade, que tal pensar que ele confia e sabe que você é capaz e, justamente por isso, faz tantas cobranças?


Como eu disse, o importante é manter o controle dos pensamentos, sem nunca permitir que a mente lhe puxe para o turbilhão de pensamentos que só pioram qualquer situação. É um exercício difícil, mas, nada é fácil no Buddhismo! O ex-Príncipe teve que fugir do palácio, passou por muito aperto, quase morreu e demorou seis anos para se tornar o Buddha... Por que você acha que com você teria que ser fácil? Comece agora e não desista - a mente é toda sua!


Ajahn Sunanthô Therô

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo