SABBASSÁVA SUTRA - O ENSINAMENTO SOBRE A ERRADICAÇÃO DE TODAS AS PREOCUPAÇÕES E DIFICULDADES



Assim me foi transmitido oralmente:


O Buddha estava então passando um tempo no Mosteiro que lhe foi doado pelo milionário Anathapíndika, no Parque de Djetá, perto de Shravatthi. Aí, dirigiu-se aos Praticantes que o seguiam, dizendo: "Praticantes." Ao que eles responderam: "Venerável Senhor."


Então, o Buddha falou assim: "Praticantes, irei revelar-vos o método para afastar todas as preocupações e dificuldades. Ouvi e refleti bem, eu vou expô-lo." " Sim Venerável Senhor," responderam eles ao Buddha.


Então falou do seguinte modo: "Praticantes, eu digo que a destruição, a erradicação das preocupações e dificuldades é possível para aquele que sabe e vê, não para aquele que não sabe e não vê. O que deve uma pessoa saber e ver para que seja possível a destruição, a erradicação das preocupações e dificuldades? Deve conhecer a reflexão com Sabedoria e a reflexão sem conhecimento. A alguém que reflete inscialmente, surgem preocupações e dificuldades não anteriormente surgidas e as já anteriormente surgidas, aumentam. Mas, para aquele que reflete com Sabedoria, as preocupações e dificuldades ainda não surgidas, não surgirão, e as já anteriormente surgidas nele, desaparecem.


Praticantes, as preocupações e dificuldades são erradicadas por: (1) inteligência, (2) contenção, (3) encontrar prazer, (4) tolerância, (5) prevenção, (6) recusa e (7) cultivação mental.


1 - Praticantes, quais são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por inteligência? Praticantes, o ordinário homem sem conhecimento que não procura a orientação dos Homens de Mente Já Purificada, não é versado nos Ensinamentos dos Homens de Mente Já Purificada, não se exercita nos Ensinamentos dos Homens de Mente Já Purificada, não visita os homens bons, não é versado nos ensinamentos dos homens bons e não se exercita nos Ensinamentos dos homens bons, não compreende em que coisas deve refletir e em que coisas não deve refletir. Não sabendo em que coisas deve refletir e em que coisas não deve refletir, ele reflete nas coisas em que não deve refletir e não reflete naquelas em que deve refletir. Agora, Praticantes, quais são as coisas em que não deve refletir e nas quais ele reflete? Se, quando ele reflete sobre determinadas coisas, surge a negatividade do prazer sensorial ainda não surgida ou aumenta a negatividade do prazer sensorial já anteriormente surgida nele; surge a negatividade do desejo por existir e vir-a-ser...; surge a negatividade da ignorância ainda não surgida ou aumenta a negatividade da ignorância já anteriormente surgida nele, então, essas são as coisas em que não deve refletir e nas quais ele reflete.


O termo “assáva” neste Sutra tem sentidos mais abrangentes que os usuais significados psicológico e ético, tais como "impulso", "compulsão", "negatividade" ou "impureza". Ele é aqui usado figurativamente e inclui as preocupações psicológicas e os problemas físicos e dificuldades, como poderá ser compreendido na continuação.


Praticantes, quais são as coisas em que deve refletir e nas quais ele não reflete? Se, quando ele reflete sobre determinadas coisas, não surge a negatividade do prazer sensorial ainda não surgida ou desaparece a negatividade do prazer sensorial já anteriormente surgida nele; a negatividade do (desejo por) existir e vir-a-ser...; não surge a negatividade da ignorância ainda não surgida ou desaparece a negatividade da ignorância já anteriormente surgida nele, então, essas são as coisas em que deve refletir e nas quais ele não reflete. Por refletir nas coisas em que não deve refletir e por não refletir naquelas em que deve refletir, surgem as negatividades que ainda não tinham surgido e aumentam as negatividades que já tinham anteriormente surgido nele.


E, então, ele reflete inutilmente deste modo: - Existi eu no passado? - Não existi eu no passado? - O que era eu no passado? - Como era eu no passado? - Tendo sido o quê, tornei-me o quê no passado? - Existirei eu no futuro? - Não existirei eu no futuro? - O que serei eu no futuro? - Como serei eu no futuro? - Tendo sido o quê, o que virei a ser no futuro? Ou agora, no tempo presente, ele tem dúvidas sobre si próprio: - Sou algo? - Não sou algo? - O que sou eu? - Como sou eu? - De onde veio esta pessoa? - Para onde irá ela?

Quando ele reflete inutilmente deste modo, alguma destas seis ideias erradas surge nele:

- Eu tenho uma Individualidade (esta ideia surge nele como verdadeira e real).

- Eu não tenho Individualidade (esta ideia surge nele como verdadeira e real).

- Pela Individualidade, percebo a Individualidade (esta ideia surge nele como verdadeira e real).

- Pela Individualidade, percebo a não-individualidade (esta ideia surge nele como verdadeira e real).

- Pela não-individualidade, percebo a Individualidade (esta ideia surge nele como verdadeira e real).

Ou a seguinte ideia errada surge nele: esta é a minha Individualidade, a qual sente, experimenta os frutos das boas e más ações, ora aqui ora acolá; esta Individualidade é permanente, estável, infindável, imutável, mantém-se igual por todo o sempre.


Isto, Praticantes, é chamado de processo de existência enredado em opiniões; uma selva de opiniões; um tumulto de opiniões; a agitação (guerra interior) das opiniões; a prisão das opiniões. Praticantes, o ordinário homem ínscio, tolhido nas prisões das opiniões, não escapa ao nascimento, envelhecimento e morte, às tristezas, às lamentações, às dores, às aflições, aos desesperos; eu digo que ele não escapa ao sofrimento (Dukkha). E, Praticantes, o instruído nobre discípulo que visita os Homens de Mente Já Purificada, é versado nos Ensinamentos dos Homens de Mente Já Purificada, está bem exercitado nos Ensinamentos dos Homens de Mente Já Purificada, visita os homens bons, é bem instruído nos Ensinamentos dos homens bons e está bem exercitado nos Ensinamentos dos homens bons, sabe quais as coisas em que deve refletir e aquelas em que não deve refletir. Sabendo quais as coisas em que deve refletir e aquelas em que não deve refletir, ele não reflete nas coisas em que não deve refletir e reflete naquelas em que deve refletir.


Agora, Praticantes, quais são as coisas em que não deve refletir e nas quais ele não reflete? Se, quando ele reflete sobre determinadas coisas, surge a negatividade do prazer sensorial ainda não surgida ou aumenta a negatividade do prazer sensorial já anteriormente surgida nele; surge a negatividade do desejo por existir e vir-a-ser...; surge a negatividade da ignorância ainda não surgida ou aumenta a negatividade da ignorância já anteriormente surgida nele, então, essas são as coisas em que não deve refletir e nas quais ele não reflete.


Praticantes, quais são as coisas em que deve refletir e nas quais ele reflete? Se, quando ele reflete sobre determinadas coisas, não surge a negatividade do prazer sensorial ainda não surgida ou desaparece a negatividade do prazer sensorial, já anteriormente surgida nele; não surge a negatividade do desejo por existir e vir-a-ser...; não surge a negatividade da ignorância ainda não surgida nele ou desaparece a negatividade da ignorância já anteriormente surgida nele, então, essas são as coisas em que deve refletir e nas quais ele reflete.


Por não refletir nas coisas em que não deve refletir e por refletir naquelas em que deve refletir, não surgem as negatividades que ainda não surgiram e desaparecem as negatividades que já tinham anteriormente surgido nele. Então, ele reflete com Sabedoria: Isto é Dukkha (toda forma de inquietação mental). Ele reflete com Sabedoria: Isto é o surgimento, a causa de Dukkha. Ele reflete com Sabedoria: isto é a Cessação de Dukkha. Ele reflete com Sabedoria: Isto é o Caminho que conduz à Cessação de Dukkha. Quando, deste modo, ele reflete com Sabedoria, os três Grilhões - falsa ideia de individualidade, dúvida cética e apego a cerimoniais (regras religiosas) e rituais - afastam-se dele. Praticantes, estas são as dificuldades (negatividades, prisões) que são erradicadas por inteligência.


2 - Praticantes, quais são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por contenção? Praticantes, um Praticante, ponderando com Sabedoria, vive com os olhos controlados. Embora surjam algumas dificuldades, aflições e provações a quem vive sem controlar os olhos, essas dificuldades, aflições e provações afastam-se daquele que vive mantendo os olhos em contenção desta maneira. Ponderando com Sabedoria, ele vive com os ouvidos controlados... com o nariz refreado... com a língua refreada... com o corpo refreado... com a mente refreada. Embora possam surgir dificuldades, aflições e provações a quem vive sem refrear a mente, essas dificuldades, aflições e provações apartam-se daquele que vive mantendo a mente em contenção desta maneira. Praticantes, estas são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por contenção.


3 - Praticantes, quais são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por encontrar prazer? Praticantes, um Praticante, ponderando com Sabedoria, usa seus mantos somente para se proteger do frio, do calor, das moscas do gado, dos mosquitos, do sol, das criaturas rastejantes e se cobrir decentemente. Ponderando com Sabedoria, ele se beneficia da comida, sem ser por prazer nem por excesso (intoxicação), sem ser para ficar bonito nem para se enfeitar, mas somente para dar suporte e manter o corpo, para o precaver do sofrimento (cansaço) e para promover a vida do cultivo da purificação mental, considerando que desse modo afasta a sensação (de sofrimento, fome) já antes surgida e não produz uma nova sensação, pelo que a sua vida é mantida irrepreensível (inocente) de forma conveniente. Ponderando com Sabedoria, ele usa o alojamento somente para se proteger do frio, do calor, das moscas do gado, dos mosquitos, do vento, do sol, das criaturas rastejantes, dos riscos das estações do ano e para apreciar o isolamento. Ponderando com Sabedoria, ele usa os medicamentos e as receitas médicas somente para se livrar das dores e doenças que possa ter e para manter a saúde. Praticantes, embora possam surgir dificuldades, aflições e provações a quem não usa deste modo alguma destas coisas, essas dificuldades, aflições e provações afastam-se daquele que as usa deste modo. Praticantes, estas são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por encontrar prazer.


4 - Praticantes, quais são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por tolerância? Praticantes, um Praticante, ponderando com Sabedoria, ao enfrentar frio e calor, fome e sede, moscas, mosquitos, ventos, sol, criaturas rastejantes, linguagem injuriosa e ofensiva, aprender a lidar pacientemente com as sensações corporais dolorosas, desestabilizadoras, esmagadoras, angustiantes, desconfortáveis, desagradáveis, mortíferas. Praticantes, embora possam surgir dificuldades, aflições e provações a quem não tolere alguma destas, essas dificuldades, aflições e provações afastam-se daquele que as tolera deste modo. Praticantes, estas são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por tolerância.


5 - Praticantes, quais são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por prevenção? Praticantes, um Praticante, ponderando com Sabedoria, evita um elefante selvagem, um cavalo selvagem, um boi selvagem, um cão selvagem, uma cobra, um galho de árvore, uma moita espinhosa, uma fossa ou buraco, um precipício, uma lixeira ou uma poça suja. Ponderando com Sabedoria, evita também sentar-se em lugares impróprios tais, bem como alimentar más amizades tais, que pudessem levar um prudente companheiro da vida do cultivo da purificação mental a concluir que ele se tinha afastado do caminho. Praticantes, embora possam surgir dificuldades, aflições e provações a quem não evita alguma destas coisas, essas dificuldades, aflições e provações apartam-se daquele que as evita deste modo. Praticantes, estas são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por prevenção.


6 - Praticantes, quais são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por recusa? Praticantes, um Praticante, ponderando com Sabedoria, recusa, rejeita, descarta, destrói, elimina os pensamentos de prazer sensorial que surjam nele; recusa... pensamentos de animosidade...; recusa... pensamentos de violência...; recusa, rejeita, descarta, destrói, elimina qualquer mal e quaisquer pensamentos maldosos que tenham surgido nele. Praticantes, embora possam surgir dificuldades, aflições e provações a quem não recusa algum destes, essas dificuldades, aflições e provações afastam-se daquele que os recusa deste modo. Praticantes, estas são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por recusa.


7 - Praticantes, quais são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por cultivação mental (bhávana, em Língua Páli)? Praticantes, um Praticante, ponderando com Sabedoria, cultiva a Atenção Vigilante, um Fator de Iluminação associado a desapego, a distanciamento, a cessação, que culmina em renúncia; ponderando com Sabedoria, cultiva a Investigação do Dharma (o Ensinamento do Buddha), um Fator de Iluminação... Energia, um Fator de Iluminação... Entusiasmo, um Fator de Iluminação... Serenidade, um Fator de Iluminação... Concentração, um Fator de Iluminação... Equanimidade, um Fator de Iluminação associado a desapego, a distanciamento, a cessação, que culmina em renúncia. Praticantes, embora possam surgir dificuldades, aflições e provações a quem não cultiva algum destes, essas dificuldades, aflições e provações apartam-se daquele que os cultiva deste modo. Praticantes estas são as preocupações e dificuldades que são erradicadas por cultivação mental.


Praticantes, um Praticante para quem as preocupações e dificuldades que são erradicadas por inteligência foram erradicadas por inteligência, as preocupações e dificuldades que são erradicadas por contenção foram erradicadas por contenção, as preocupações e dificuldades que são erradicadas por encontrar prazer foram erradicadas por encontrar prazer, as preocupações e dificuldades que foram erradicadas por tolerância foram erradicadas por tolerância, as preocupações e dificuldades que são erradicadas por prevenção foram erradicadas por prevenção, as preocupações e dificuldades que são erradicadas por recusa foram erradicadas por recusa, as preocupações e dificuldades que são erradicadas por cultivação mental foram erradicadas por cultivação mental - Praticantes, é deste Praticante que se diz que dominou todas as preocupações e dificuldades. Ele cortou rente a ânsia, eliminou suas prisões e, prevenido contra o falso orgulho, pôs fim a todo tipo de inquietação mental."


Assim falou o Buddha. Felizes no seu íntimo, os Praticantes todos se alegraram com as palavras do Buddha.

57 visualizações

Contatos:

(54) 3244-6027

dragaododharma@gmail.com

Endereço: 

Loteamento Alpes de São Francisco, Rua 3 - 401

São Franciso de Paula, RS - CEP: 95400-000

© 2020 

Criado por Gustavo Pavanello e Thairiny Silva

  • Templo Dragão do Dharma - Facebook
  • Budismo Brasil - YouTube
  • Budismo Brasil - Instagram
  • Twitter