SOBRE OS ESTADOS MENTAIS DURANTE O ISOLAMENTO SOCIAL

Atualizado: Jul 23





Sukhí Hôtu!


O medo é uma característica comum a todos os seres vivos. Estudos científicos mostram que até mesmo as plantas, que não têm consciência como nós Humanos, reagem com medo quando algum estímulo negativo, como fogo ou um inseto que vai devorar suas folhas se aproximam.


Todos nós já vimos, pelo menos uma vez, como um cão põe o rabo entre as pernas e sai correndo, em situação de medo. Nessa corrida desesperada, pode até ser atropelado, cair em um buraco, porque está cego de medo e pondo sua vida em risco, muitas vezes por medo de uma vassoura ou do estouro de fogos de artifício, coisas que nós compreendemos, mas está longe do entendimento dele, por isso se agita tanto!


Até certo ponto, o medo é um aliado. Ele nos faz ter cautela, tomar cuidado, não sermos tão afoitos em muitas situações. É coerente, por exemplo, ter medo de entrar na jaula de um tigre ou se afastar se virmos uma cobra no meio do mato! É função do medo nos alertar que nossa vida corre perigo e isso é bom! Mas, o medo deixa de ser bom quando perdemos o sentido dele, quando deixamos que ele tome conta de nossa mente e progrida, cresça se tornando pavor, pânico, histeria… Se deixamos que isso aconteça, estaremos correndo sem direção alguma, como o cachorro com medo da vassoura. Aí o medo se torna um problema.


Se alguns animais se metem num abrigo qualquer e ficam lá, tremendo, até o perigo passar, no caso de nós Humanos, sim devemos nos abrigar, mas não para ficarmos tremendo, apavorados, escondidos debaixo da cama ou trancados dentro do quarto. É justamente nossa capacidade de diferenciarmos as coisas, de usarmos a CONSCIÊNCIA que nos torna superiores a todos os animais do planeta. O abrigo do isolamento social é uma forma de nos protegermos do vírus, de não nos contaminarmos e isso é agir com Sabedoria. Mas, se não soubermos interpretar corretamente o que está acontecendo, nosso instinto animal, vai nos levar a tremer de medo e nossa mente perderá o controle sobre as emoções, que é o que temos de mais precioso entre todas as capacidades da mente Humana.


Se o isolamento está sendo fonte de DEPRESSÃO, angústia, tristeza e insegurança, isso é sinal de que a pessoa não está agindo corretamente, não está sabendo lidar com a situação presente e, não interpretar corretamente o momento presente é o OPOSTO de tudo o que o Buddha (Buda) nos ensinou! Estar isolado não é perigoso. Antes, é uma imensa oportunidade de lidar com uma situação inusitada, fazendo com que tiremos dela o maior número de benefícios possível, afinal, milhões de pessoas sempre sonharam em ter permissão dos chefes e patrões para trabalharem EM CASA!! Agora, querendo ou não, todos esses chefes têm que permitir, eles mesmos estão em suas casas, não há o que argumentar.


Como Humanos, não podemos ficar tremendo de medo dentro de casa. A mente Humana tem um método melhor de lidar com o medo: SERVIR! Servir aos demais é a melhor maneira de conviver com a ideia de estarmos isolados, todos na mesma situação. Temos a tecnologia a nosso favor, esses milhões de “janelinhas” que nos conectam mundo afora, podem invadir nossa casa trazendo notícias ruins e aterrorizantes, mas também podem ser usadas para o bem, para servir aos outros, para conectar pessoas levando a elas coisas boas e recebendo o que elas têm de bom para nos oferecer. Podemos, por exemplo, oferecer vídeos didáticos sobre diversos assuntos, de graça, pelo simples prazer de servir! Compartilhar receitas e gravar vídeos fazendo os pratos que mais gostamos…

Podemos, também, gravar vídeos tocando um instrumento, mostrando ao mundo a nova canção, recém composta… Fazer desenhos… Pintar quadros… Há uma infinidade de coisas boas que podemos produzir e compartilhar com essa multidão que, afinal de contas, está na mesma situação que todos nós – CONFINADOS e procurando com o que se ocupar!


A única coisa que não podemos, a pior de todas as coisas, é deixar que a mente assuma a posição de “coitadinha”, “deprimida”, “solitária”… “A única no mundo” com tanto medo! Essa postura – nada buddhista (budista) – tem a ver com o errado conceito de que existe um EU, um EGO, uma entidade individual que está sofrendo. Isso, é uma derrota para quem se diz buddhista e um obstáculo para quem um dia possa seguir o Ensinamento do Buddha!


Temos que ser fortes e é da Sabedoria que vem nossa força… O cão com medo de vassoura, não tem nada de sábio em suas atitudes, justamente por não ter discernimento para saber que uma vassoura não vale o risco de ser atropelado por sair correndo em desespero. Para nós, Humanos, pôr tudo a perder, todo o trabalho de cultivo mental, toda a inteligência que temos e toda a capacidade que nos torna absolutos na Natureza, por causa do entendimento errado do isolamento social, é nos rebaixar ao nível do “cão com medo da vassoura” e isso é algo que não podemos deixar acontecer!


É hora de nos erguermos, sairmos não do isolamento de estarmos dentro de casa, mas do isolamento de ESTARMOS DENTRO DE NÓS MESMOS e partirmos para a AÇÃO, usando as armas que temos: inteligência, criatividade, compaixão, entendimento correto e a tecnologia, que, mais do que em qualquer momento da História, tem que ser usada em nosso benefício comum!


Fiquem todos em Paz e protegidos!


Ajahn Sunanthô Therô



Ainda tem dúvidas? Deixe seu comentário ou entre em contato com a gente.


Gostaria de se aprofundar? Participe de um de nossos encontros. Saiba mais aqui.

33 visualizações

Contatos:

(54) 3244-6027

dragaododharma@gmail.com

Endereço: 

Loteamento Alpes de São Francisco, Rua 3 - 401

São Franciso de Paula, RS - CEP: 95400-000

© 2020 

Criado por Gustavo Pavanello e Thairiny Silva

  • Templo Dragão do Dharma - Facebook
  • Budismo Brasil - YouTube
  • Budismo Brasil - Instagram
  • Twitter