VĪRYA: UMA DAS ATITUDES MENTAIS DE UM BUDISTA

Atualizado: Jul 23



Sukhí Hôtu (que você possa estar bem e feliz)!


Como não é uma religião, não existe o elemento dentro do Buddhismo (Budismo). Podemos – e devemos – acreditar em nós mesmos, em nossa capacidade de progredirmos na prática dos Ensinamentos do Buddha (Buda). Essa autoconfiança é chamada de SAD´HÁ mas não é sobre ela que quero falar agora… Nosso assunto é outro estado mental, igualmente importante: Vīrya, em chinês se diz QÍN { tchín } 勤 e o Hanzi é composto de um pote de barro, feito utilizando muita força! - Isso porque Víriya, em Páli, como tantas outras palavras, tem diversas traduções: energia, disposição, perseverança, esforço…


Víriya é o estado mental que o bom buddhista deve ter em relação à prática! Quanto mais praticamos o Dharma, mas certeza nós encontramos de estarmos no caminho correto, de estarmos cada vez mais leves e liberados da inquietação mental que tanta gente sente, sem saberem como se livrarem dela!

Nós temos a oportunidade única de observar diante de nós e em todas as direções, aquilo que o Buddha nos disse e comprovar que é verdade! Não dependemos de fé cega para crer em coisas que são misteriosas mas nos são impostas e temos que crer sem investigar! Assim, a cada comprovação de que as verdades que o Buddha nos disse, realmente se aplicam em nossas vidas diárias, deve aumentar em nós esse sentimento de energia, disposição, coragem para investigar ainda mais e continuarmos progredindo.

Porém, para que haja VÍRIYA, para que essa energia se desenvolva plenamente, é necessário cuidarmos do corpo e da mente. O Buddha, diversas vezes nos aconselhou que as horas da noite não devem ser gastas em claro, fazendo atividades, sejam elas quais forem! Ele disse que devemos administrar bem nosso tempo durante o dia para que precisemos, o mínimo possível, estar acordados durante a noite! Quem passa horas acordado, por trabalho ou por lazer, não só não está administrando bem as horas da luz do dia, como não está seguindo a recomendação do Buddha e isso deve ser pensado e muito bem refletido!

Passar a noite acordado, ficar até de madrugada fazendo alguma coisa que não seja dormir, faz com que, de dia, a mente esteja cansada, preguiçosa, confusa e lerda, fatores que são exatamente o OPOSTO do que o Buddhismo pede de nós: Atenção Plena!

Ainda que não fôssemos buddhistas, bastaria observar a Natureza – somos uma espécie DIURNA, não noturna! Nossos olhos não foram feitos para enxergar bem no escuro… Até mesmo os cães enxergam muito melhor que nós durante a noite! Nosso aparelho digestivo, nosso organismo, está programado para reduzir ou até parar determinadas atividades quando escurece. Nosso fígado, por exemplo, não consegue funcionar bem após as 22 horas e precisa que nosso corpo esteja em repouso ou praticando o mínimo possível de atividade ou pode entrar em colapso!

Observar a prática correta é muito mais do que estudar ou entender teoricamente o Dharma. A prática buddhista está na moderação, em evitar os dois extremos – negligência e radicalismo ascético. Nosso esforço, quando houver, deve ser sempre em benefício da prática, já que é ela que modera nossas vidas e nos conduz à felicidade verdadeira!

Fiquem todos em Paz e protegidos!

Monge Sunanthô Bhikshú



Ainda tem dúvidas? Deixe seu comentário ou entre em contato com a gente.


Gostaria de se aprofundar? Participe de um de nossos encontros. Saiba mais aqui.

40 visualizações

Contatos:

(54) 3244-6027

dragaododharma@gmail.com

Endereço: 

Loteamento Alpes de São Francisco, Rua 3 - 401

São Franciso de Paula, RS - CEP: 95400-000

© 2020 

Criado por Gustavo Pavanello e Thairiny Silva

  • Templo Dragão do Dharma - Facebook
  • Budismo Brasil - YouTube
  • Budismo Brasil - Instagram
  • Twitter