• Fǎ Lóng Sì - Facebook
  • Fǎ Lóng Sì - YouTube
  • Fǎ Lóng Sì - Instagram

(54) 3244-6027

wuhaishifu@gmail.com

Templo Budista

Loteamento Alpes de São Francisco, Rua 3 - 401

São Franciso de Paula, RS - CEP: 95400-000

Agende sua visita nos telefones indicados.

 

Se estiver de passagem pelo local e REALMENTE tiver tempo para sentar e ouvir Ensinamentos sobre Budismo diretamente do Shifu (monge), todos são muito bem-vindos para tocar o sino do portão.

 

Reuniões aos Sábados ou Domingos, a partir das 15h.

Cadastre-se para participar por vídeo, caso não possa comparecer .

ZEBRAS



Dajia hao!


Todo mundo conhece uma zebra… Aquele “cavalo de pijama” que vive nas planícies da África… O que pouca gente sabe é a razão dela ter tantas listras. Zebras são presas fáceis para os grandes felinos, como os leões e leopardos. Embora possam correr, não são tão rápidas e acabam não sendo páreo para os predadores. É aí que entram as listras como defesa! Não existem duas zebras com o mesmo padrão de listras no corpo. A Natureza se encarrega de que todas sejam absolutamente diferentes uma da outra. Ao mesmo tempo, as zebras dependem umas das outras, vivendo somente em grupo, nunca isoladas. Isso as torna mais seguras e fortes.

Quando o leão está à espreita, observando as zebras, ele sempre espera que uma delas se afaste um pouco do grupo. Enquanto estão compactadas, pastando juntas, o leão só consegue ver um verdadeiro painel preto e branco, com listras para todo lado! Se ele atacar no meio do grupo, não saberá onde começa uma zebra e onde termina outra!! Sua chance de sucesso na caçada, fica bem reduzida e o risco de levar alguns coices é grande.


A segurança das zebras, portanto, está em serem diferentes e ao mesmo tempo terem tanto em comum! Toda vez que estiverem afastadas da segurança do grupo, a morte estará bem perto, para felicidade dos predadores, para tristeza do grupo…


Mas, o que tudo isso tem a ver com Buddhismo? Há Dharma em tudo o que observarmos com atenção! Nosso mundo, como as planícies da África, é um lugar de matar e morrer. Físicos ou psicológicos, os predadores estão sempre à nossa volta ou dentro de nós mesmos, o que é pior que leões e leopardos.

Como buddhistas, somos minoria, num mundo hostil onde até pessoas de outras crenças nos observam com desconfiança e até rancor. A Sangha, deve ser o grupo de zebras da nossa sociedade! Quanto mais unidos estivermos, apesar de nossas tantas diferenças, são as LISTRAS DO BUDDHISMO que carregamos conosco, que nos mantém protegidos e mais fortes. Toda vez que nos destacamos, que nos afastamos da Sangha, estamos mais vulneráveis, expostos aos perigos do mundo, enquanto que, na segurança do grupo de pessoas que pensam como nós, é onde devemos buscar proteção, aceitação e abrigo.


Observando a Natureza e entendendo o comportamento das zebras, podemos traçar esse paralelo com nossa Sangha e aprendermos a confiar cada vez mais nela.


Fiquem todos em Paz e protegidos!


Monge Wu Hai Laoshi

9 visualizações